(21) 3182 8282 Whatsapp Agende online
CONTEÚDO CREB SOBRE SAÚDENovidades

Tênis inadequado pode provocar até dor na coluna de corredor de rua, alerta ortopedista do CREB

Correr na rua é um esporte que atrai um número cada vez maior de pessoas, principalmente pela facilidade da prática: basta um local plano e adequado, e pronto. Mas será que basta isso? O ortopedista do CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo, João Marcelo Amorim, médico do time de futebol do Flamengo, diz que não. Ele garante que utilizar o tênis correto para o tipo de pisada do corredor é fundamental para uma atividade saudável e que traga apenas benefícios.

  • As pessoas acham que basta ir até a beira da praia ou numa pista calma e plana, e está tudo resolvido. De fato, é um esporte simples, mas é preciso utilizar um tênis correto e adequado. Isso é fundamental para que o corredor não tenha problemas – garante ele.

Segundo o Dr. João Marcelo, é preciso consultar um médico especialista para avaliar se esse é o esporte adequado para a pessoa. O médico irá, de acordo com o ortopedista do CREB, indicar o tênis adequado para a prática da corrida.

  • Não basta comprar um tênis caro, de marca. Existem três tipos de pisada: a neutra, a supinada e a pronada, cada uma com suas variações, como leve, moderada e intensa. Alguns fabricantes de tênis oferecem produtos direcionados para cada tipo de pisada. É preciso utilizar o tênis correto, adequado à pisada do praticante de corrida. Um tênis inadequado pode trazer bolhas, calos, dores no pé, no joelho e até na coluna – explica ele.

Teste da pisada

Para saber qual é o tipo de pisada do paciente, o CREB dispõe de um exame chamado baropodometria dinâmica computadorizada, que faz uma avaliação tridimensional do movimento do paciente. O médico utilizará os resultados deste exame para indicar o melhor tênis ao paciente.

Ortopedista do CREB participa do 1º Fórum de Ciências Médicas do Futebol

O ortopedista Clóvis Munhoz, do CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo – e professor de ortopedia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) foi um dos destaques da 1ª Edição do Fórum de Ciências Médicas do Futebol (CIMBOL), evento realizado no dia 11 de janeiro pela Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ) e pelo Instituto da Ciência do Futebol (ICF).

O evento foi um sucesso, com mais de 400 participantes e mais de 20 palestrantes. Entre outros temas, o Fórum apresentou palestras relacionadas à saúde do esporte e do futebol para atletas e pacientes.

Saúde do esporte e do futebol para atletas e pacientes

  • Tivemos um dia muito proveitoso. Acredito que todos que participaram do CIMBOL puderam absorver informações relevantes à Medicina Esportiva, algo tão presente no cotidiano não só de atletas, mas de todos os cidadãos. Todos puderam aprender com os profissionais que passaram pelo Fórum – afirmou o anfitrião do evento e Presidente da FERJ, Dr. Rubens Lopes. Segundo ele, essa foi a primeira de várias edições do evento que serão realizadas.

Atividade física regular: aquecimento é fundamental

Que praticar exercício físico regularmente faz muito bem a saúde, todo mundo sabe. Mas é preciso tomar algumas precauções para não transformar algo muito bom em um problema: toda atividade física, seja qual for, deve ser precedida por um aquecimento.

“É preciso disciplina e conscientização para praticar exercício físico regular de forma saudável. Muita gente pratica alguma atividade por conta própria, principalmente corrida ou caminhada. E tem aqueles que são chamados de atletas de fim de semana, porque se exercitam apenas sábados e domingos, fazendo da atividade física uma atividade de lazer. Principalmente essas pessoas precisam tomar cuidado – alerta o ortopedista João Marcelo Amorim, do CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo, e médico do time profissional do Flamengo.

Segundo João Marcelo, é muito comum que praticantes de atividade física regular por conta própria esqueçam de aquecer antes de começar o treino. Isso, segundo ele, é comum entre os praticantes de corrida, caminhada, surfe, bicicleta, canoagem, vôlei de praia e futebol entre amigos.

  • Recebo, em meu consultório, muitas pessoas reclamando de dores na coluna, inflamações ou dores nas articulações. Ao examiná-los e durante a conversa, eles contam que praticam atividade física, mas não aquecem. E contam que a dor aparece depois da atividade. Isso é muito comum – relata ele.

João Marcelo diz que aquecer é fundamental. E que procurar um médico em caso de alguma dor é muito importante para um diagnóstico correto do problema.

Com tecnologia da Nasa, Game Ready pode ser utilizado por todos no CREB

O Game Ready é um aparelho de ponta, que ajuda no tratamento de problemas físicos diversos, por meio de uma tecnologia desenvolvida pela Agência Aeroespacial dos Estados Unidos, a Nasa. Utilizado nos atletas mais famosos do mundo na recuperação de lesões ortopédicas, o aparelho ficou conhecido depois que foi usado por Gabriel Jesus, quando lesionado, que postou foto utilizando-o enquanto disputava uma partida de videogame.

Embora utilizado pelos atletas mais bem pagos do mundo, o aparelho está á disposição de todos no CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo. Vale ressaltar que apenas um médico especialista poderá indicar o uso do aparelho, após exame clínico e físico. “Oferecemos o acesso a essa tecnologia avançada a qualquer um. Basta que um médico faça o diagnóstico e aponte a necessidade do uso do Game Ready. Temos o utilizado no CREB com muito sucesso”, afirma o ortopedista Clovis Munhoz, do CREB e professor de Ortopedia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Como funciona

“O aparelho esfria e comprime ao mesmo tempo a área lesionada. Utilizamos para lesões musculares e problemas ortopédicos. Também é uma excelente opção para o pós-operatório. O Game Ready é controlado por um microprocessador e é alimentado por gelo, repassando a água fria por meio de pressão pneumática em um cabo, até sua extremidade. É como um manto, que envolve a região afetada, diminuindo o edema. Há uma combinação da pressão e da temperatura fria da água em movimento constante, o que estimula a circulação de sangue a fundo no local afetado”, explica o ortopedista do CREB.

Bursite trocantérica pode apresentar dor no quadril, irradiando ao longo da coxa

A bursite é a inflamação da bursa, uma pequena bolsa de líquido presente em várias articulações, que tem como objetivo reduzir o atrito entre duas articulações e facilitar o movimento articular. A bursite trocantérica é a inflamação da bursa do quadril, resultando em dor na face lateral da coxa. “Muitas vezes, a dor é de forte intensidade, se iniciando no período da noite, sendo agravada pelo movimento de sentar e levantar. Pode irradiar ao longo da coxa e pode impedir o caminhar”, afirma o ortopedista Bruno Vargas, do CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo.

A bursite trocantérica está associada ao uso excessivo da articulação do quadril, sendo bastante frequente em pessoas que praticam corrida. “Além disso, a sobrecarga da articulação é outro fator que contribui para o surgimento da bursite. Logo, pessoas que ficam longos períodos de pé e a presença de obesidade são alguns dos fatores envolvidos no surgimento do quadro. A presença de problemas em outras articulações dos membros inferiores, tais como joelhos, pés e tornozelos também podem gerar uma sobrecarga na articulação do quadril, contribuindo para o aparecimento de novos casos”, explica o médico do CREB.

Ao menor sinal de dor no quadril é preciso procurar um especialista. “O médico poderá fazer uma análise da presença de alterações em outas articulações dos membros inferiores, incluindo a avaliação da pisada do paciente. Temos no CREB um exame chamado baropodometria, não invasivo, indolor e de alta tecnologia, que nos auxilia no estudo da pisada do paciente e sua influência nas articulações dos membros inferiores”, pontua o Dr. Bruno.

Quer receber novidades?

O CREB se dedica diariamente a atender seus clientes com toda a atenção e carinho, venha e comprove ❤