(21) 3182 8282 Whatsapp Agende online
CONTEÚDO CREB SOBRE SAÚDENovidades

Atividade física: dicas para uma vida mais saudável

Uma vida saudável depende de inúmeros fatores, mas há três condições que são básicas: uma alimentação balanceada e regrada, um sono reparador e a prática regular de atividade física. Não há como fugir de uma destas condições se o objetivo é ter saúde e, consequentemente, qualidade de vida. “A vida moderno teima em nos afastar destas três condições, mas é preciso respeitá-las para se ter uma boa saúde”, garante o fisiatra e reumatologista Antônio D’Almeida Neto, do CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo.

A prática de exercício físico deve ser regular

A falta de tempo parece ser a melhor e mais comum desculpa para justificar a falta de uma boa alimentação, o sedentarismo e até mesmo as poucas horas dedicadas ao sono. Afinal, se estamos sempre correndo para lá e para cá, como se cuidar? “Tudo é uma questão de escolha. Se você tem pouco tempo para almoçar, entra em uma lanchonete fast food e resolve o seu problema. Mas pode optar por um restaurante à quilo e fazer uma refeição balanceada. Obviamente que as vezes é impossível mesmo se alimentar adequadamente. Mas isso tem que ser uma exceção”, diz o Dr. Antônio.

A prática de exercício físico deve ser regular, aponta o médico do CREB. “É verdade que muita gente chega cedo no trabalho e vai tarde para casa. Mas há solução: você pode descer três pontos de ônibus antes do seu, e caminhar um pouco. Pode optar pelas escadas ao invés de utilizar o elevador. E durante o trabalho, pode e deve se alongar com frequência, a cada duas horas, por exemplo. Isso faz toda a diferença”, garante ele.

O Dr. Antônio pontua que a prática de atividade física regular melhora a amplitude do movimento, diminui riscos de lesões, tem reflexos na postura, atua sobre dores musculares e articulares e ajuda a perder peso. “Andar é uma atividade excelente. A pessoa pode aproveitar a hora do almoço e caminhar no entorno do seu trabalho”, lembra ele.

Exercício físico, alimentação balanceada e banho de sol são fundamentais na terceira idade

Praticamente metade da população idosa do país sofre de alguma doença crônica, como diabetes, câncer, reumatismo ou problemas cardiovasculares. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nada menos do que 48,9% dessa população têm doença crônica. A hipertensão é a primeira da lista, com 50%. Dores na coluna e artrite ou reumatismo também são muito comuns, afetando 35,1% e 24,2%, dos idosos, respectivamente.

Um tratamento amplo e personalizado, com medicação, atividade física regular, banho de sol e protocolos que incluem hidroterapia, acupuntura e RPG pode, porém, devolver uma parte da qualidade de vida naturalmente perdida, garante Eduardo Sadigurschi, fisiatra e reumatologista do CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo.

  • A idade é certamente um dos fatores que contribuem para essa condição. Anos e anos de má postura certamente provocam a alteração do funcionamento musculoesquelético do idoso. As doenças degenerativas, por sua vez, têm impacto na postura, ainda que seus efeitos não sejam sobre o esqueleto ou grupos musculares, porque podem desencadear um mecanismo de compensação. O idoso sente dor ou desconforto ao realizar um movimento e isso irá alterar o alinhamento postural para compensar a sensação ruim. Isso compromete as demais articulações e modifica o equilíbrio físico. Um joelho afetado pela artrite, por exemplo, pode alterar o padrão da caminhada, o alinhamento do quadril, da coluna e até o movimento dos braços – explica o Dr. Eduardo.

Tratamento personalizado

O médico do CREB diz que o tratamento deve ser absolutamente personalizado, levando em consideração os aspectos pessoais do paciente. Ele determina que o primeiro passo para a busca de uma melhor qualidade de vida é praticar exercício físico regular e se alimentar de forma saudável e optando por uma comida balanceada.

  • A dieta deve ser rica em cálcio. Há uma série de alimentos, além do leite, que são recomendáveis para o idoso. Já o sedentarismo traz ainda mais rigidez para s articulações. Então, se exercitar é fundamental. O exercício físico traz força para os músculos, melhora a condição física e até o equilíbrio, que é afetado com a idade. Estas são condições básicas na busca por uma qualidade de vida melhor: se exercitar, comer bem e, ainda, tomar banho de sol regularmente. Procurar um especialista é fundamental. O médico irá propor um tratamento individualizado, que certamente trará resultados muito positivos – garante ele.

Mochilas escolares devem carregar no máximo 10% do peso do aluno

A volta às aulas está próxima, e por isso pais e mães já procuram papelarias e bazares para a compra do material escolar par ao ano letivo. Na lista, um item é muito aguardado ansiosamente pelas crianças: a mochila. Os pais geralmente se preocupam com o preço, naturalmente, mas na maior parte das vezes não pensa que uma mochila inadequada pode se transformar em lesões e até doenças crônicas na coluna vertebral.

Segundo o ortopedista Márcio Taubman, do CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo, o mau uso da mochila podem ocasionar mais do que desconfortos: distenções musculares e alterações posturais são os problemas mais comumente encontrados em seu consultório:

  • O ideal é que a criança utilize uma mochila com rodinhas. Mas até ela pode gerar problemas se puxada de maneira inadequada. A alça da mochila de rodinhas tem que estar em uma altura adequada. O principal, seja na mochila de rodinhas ou colocada nas costas, é que o peso carregado jamais ultrapasse 10% do peso da criança. Isso é uma regra que não pode ser quebrada – relata o Dr. Márcio.

Dicas de mochila

O ortopedista do CREB dá algumas dicas importantes, além do peso máximo que a mochila deve carregar. Ele pontua que a criança jamais deve carregar a mochila em apenas um ombro, algo muito comum de acontecer, e diz que as alças devem ser acolchoadas e ajustadas para que a mochila fique rente ao corpo. E mais: a largura da mochila não deve ser maior do que a largura da criança. Alguns modelos contam com cinto abdominal, o que é positivo porque dá mais firmeza á mochila.

  • Ao menor sinal de dor, um especialista deve ser consultado. O uso da mochila é inevitável, mas observando alguns cuidados não haverá problemas para a criança – garante o médico do CREB.

RPG oferece melhor qualidade de vida para idosos

O idoso sente, em geral, dores frequentes nas articulações, limitações de movimento, alterações posturais, dificuldade de manter o equilíbrio, alteração na coordenação motora, diminuição na força e na flexibilidade dos músculos, além de dificuldade de locomoção. Tudo isso afeta sua qualidade de vida e em geral está associado a patologias importantes, como diabetes, cardiopatias, doenças respiratórias e renais ou artrose, entre outras. O RPG – Reeducação Postural Global – pode, assim, ser uma excelente opção para a terceira idade.

  • Justamente para suprir suas deficiências, o idoso pode apresentar uma postura muito alterada, mas isso pode ser corrigido, respeitando as compensações que são inerentes ao envelhecimento, por meio da RPG, um método da Fisioterapia que avalia e trata os pacientes de forma individual, respeitando as particularidades de cada organismo e buscando as causas que originam os problemas – afirma o ortopedista Márcio Taubman, do CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo.

O RPG melhora a coordenação motora e o equilíbrio

Segundo o ortopedista do CREB, a RPG atua sobre os aspectos estático e dinâmico, melhorando a coordenação motora e o equilíbrio, ajudando nos movimentos do dia a dia e, assim, promovendo bem estar e melhora da autoestima dos idosos.

Orientação psicológica é oferecida gratuitamente nos tratamentos do CREB

Os tratamentos de doenças musculoesqueléticas são compostos, muitas vezes, em prescrição de medicamentos e fisioterapia, podendo contar com protocolos que incluem acupuntura, RPG e hidroterapia, entre outras técnicas. No CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo – há mais um componente disponível nos tratamentos: orientação psicológica, que é oferecida gratuitamente para todos pacientes da clínica.

A dor pode ser um grito de alerta

  • Não podemos mesmo mensurar a dor da outra pessoa. Trata-se de algo muito pessoal. Mas todo tipo de manifestação ou queixa de dor precisa ser escutada, reconhecida e até mesmo acolhida. Esta dor pode ser uma espécie de grito de alerta, pouco importando ser física ou psicológica para a pessoa que a sente. O importante é que essa dor precisa ser tratada e aliviada – diz a psicóloga Fátima Silva, do CREB.

Fátima lembra que a dor pode gerar transtornos no dia a dia das pessoas, até mesmo interferindo negativamente na sua qualidade de vida. De acordo com a psicóloga do CREB, contar com apoio nessas horas é fundamental e faz toda a diferença.

  • Nosso objetivo é ajudar o paciente a lidar com aquela situação. Estamos aqui para ouvi-lo. O CREB entende essa necessidade e está preparado para ajudar seus pacientes nesse processo de tratamento e de compreensão – garante ela. Mais informações sobre o serviço de orientação psicológica do CREB podem ser obtidas na recepção da clínica ou pelo telefone 21 – 3182-8282.

Quer receber novidades?

O CREB se dedica diariamente a atender seus clientes com toda a atenção e carinho, venha e comprove ❤