CONTEÚDO CREB SOBRE SAÚDENovidades

Fisiatra do CREB terá posição de destaque em Congresso de TOC

Uma das maiores autoridades em Tratamento de Ondas de Choque do Brasil, o fisiatra do CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo – Dr. Antônio D’Almeida Neto terá uma posição de destaque no Congresso Brasileiro de TOC, que acontece de 30 de maio a 1 de junho, em São Paulo. O Dr. Antônio fará três palestras no curso de formação do evento, voltadas para os temas lombalgia, cervicalgia e casos de erros e insucessos. No curso avançado, para profissionais com pelo menos cinco anos de atividade com o TOC, também serão três palestras: técnicas atualizadas para lombalgia, para cervicalgia e trigger points. O médico do CREB também participará dos fóruns de debate, de onde será definida a posição do Brasil a ser levada para o Congresso Internacional de TOC, que acontecerá em Florença, na Itália, em agosto. O Dr. Antônio será um dos dois médicos que representarão o país no evento internacional.

Tempos tecnológicos trazem novas doenças

“Wiitis”, “síndrome do ecrã tela” e “cotovelo de telemóvel” são os nomes de novas doenças destes novos tempos tecnológicos, cuja origem do problema está no uso excessivo de um videogame, um celular, um tablet e gadgets do gênero. Haim Maleh, fisiatra e reumatologista do CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo e professor de reumatologia da Universidade Federal Fluminense (UFF) diz que Tendinite, síndrome do túnel carpo, epicondilite, obesidade, perda de audição e dores lombares são problemas cada vez mais diagnosticadas em jovens, fruto da vida que levam.

  • São doenças antigas, que ganham novos nomes. Nosso desafio é estabelecer a origem das doenças diagnosticadas e obviamente que o estilo de vida desses jovens nos indicam caminhos. O uso de mochilas cada vez mais pesadas, a falta da prática de exercício físico regular e as horas seguidas diante de computadores, videogames e celulares trazem problemas imediatos. Novas doenças surgem com os novos tempos tecnológicos que vivemos – explica ele.

Segundo o médico do CREB, teclar no celular o dia inteiro, repetida e excessivamente, por exemplo, pode ocasionar inflamações nos tendões.

  • Por causa das redes sociais, jovens passam o dia no celular. Isso tem conseqüência. Nosso papel é alertá-los que precisam readquirir hábitos saudáveis, como praticar exercícios regulares, caminhar e buscar outras fontes de lazer que não apenas os eletrônicos. E ao menor sinal de dor e desconforto, os pais devem levar seus filhos a um médico para evitar que o problema se agrave – diz o Dr. Haim Maleh.

CREB dispõe de Crioterapia Ativa

O CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo – foi a primeira clínica do Rio de Janeiro a oferecer um novo equipamento para o tratamento e recuperação mais completa para as lesões musculoesqueléticas e recuperação pós-cirúrgica: a união da compressão ativa à Crioterapia, por meio do Game Ready, que pode ser utilizado para a coluna vertebral, bem como em todas as articulações.

Segundo Handerson Meurer, Coordenador de Fisioterapia do CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo, a crioterapia ativa deve ser utilizada em pacientes em pós-operatório, é capaz de promover uma recuperação mais eficiente, livre de analgésicos, acelerando a cicatrização.

  • Essa técnica ajuda a eliminar os edemas, aumenta o poder de recuperação, melhora o processo de cura dos tecidos pelo aumento do fluxo sanguíneo e otimiza a drenagem linfática da área afetada, ajudando a reduzir a dor e o edema – explica ele.

De acordo com Handerson, a técnica também diminui o metabolismo celular, ajudando a minimizar lesões secundárias do tecido, oferece uma recuperação mais rápida, diminui significativamente a inflamação e da dor, resultando na menor necessidade de analgésico e permite uma maior comodidade no tratamento, eliminando a necessidade de utilização de sacos de gelo.

Avaliação Tridimensional do Movimento, utilizado por atletas, está disponível para todos

Com o objetivo de auxiliar no diagnóstico de inúmeras patologias e das dores que afligem milhares de pessoas com problemas nos pés e em caminhadas e corridas, a avaliação tridimensional do movimento é um moderno exame que é muito utilizado para avaliação de dores nos pés, na coluna e nos membros inferiores e superiores. Trata-se de um exame indolor, não invasivo e de alta precisão, que está disponível no CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo.

  • Esse exame é muito utilizado por atletas de alto rendimento, mas está disponível para qualquer um, seja a pessoa uma atleta amadora, seja para quem quer voltar a praticar atividade física ou para portadores de deformidades posturais e nos pés ou aqueles que sentem dores na coluna e membros inferiores e superiores – afirma o fisiatra e reumatologista Antônio D’Almeida, do CREB.

O médico explica que dores constantes na coluna, no quadril, joelho, tornozelo ou no pé podem ser consequência de algum problema nos pés. Daí a importância desse exame:

  • Além da avaliação do pé em repouso, contamos com um aparelho de alta sensibilidade que também permite avaliar o paciente em movimento, de forma dinâmica, medindo as variações das pressões durante a marcha e até durante a corrida. Essas possibilidades do aparelho dão informações valiosas a respeito da performance dos pés durante a marcha e que não são normalmente observadas nos consultórios médicos e avaliações físicas habituais, já que o pé se comporta de forma diferente se estiver parado, andando ou em rápido movimento. O exame localiza os pontos de apoio na planta do pé durante a pisada e faz a mensuração precisa da pressão exercida sobre cada um destes pontos – explica o Dr. Antônio.

Bursite trocantérica: TOC pode ser uma excelente opção

Dor lateral no quadril e na coxa, com dificuldade para caminhar, pode sugerir uma bursite trocantérica. Trata-se da inflamação de uma ou mais bursas trocantéricas é conhecida como bursite trocantérica e é uma das mais comuns causas de dor no quadril, como explica o ortopedista Bruno Vargas, do CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo.

  • A bursa trocantérica é um tecido sinovial localizado superficialmente ao trocanter maior, a parte do fêmur proximal que é saliente lateralmente no quadril. Segundo ele, temos quatro bursas em cada quadril e elas funcionam como se fossem um saco vazio sobre as proeminências ósseas, o que facilita o deslizamento de tendões e fáscias sobre o osso. A pressão direta sobre a bursa aumenta a dor, o que torna difícil para o paciente deitar sobre o lado afetado. A bursite trocantérica pode prejudicar o sono, trazer dificuldades no caminhar e, assim, reduzir a qualidade de vida do paciente – diz ele.

Segundo o médico do CREB, a doença pode ser causada por movimentos exagerados dos tendões efáscias sobre o trocânter maior. Há opções de tratamento que devem ser avaliadas caso a caso, com excelentes resultados. Podemos utilizar fisioterapia, hidroterapia e RPG e medicamentos. Também podemos indicar a Terapia por Ondas de Choque (TOC), um método praticamente indolor e não invasivo, através de ondas acústicas, que vem sendo utilizado com sucesso em substituição e evitando a cirurgia com cerca de 85% de sucesso.

  • O tratamento da TOC é feito em consultório médico, por médico capacitado, geralmente em três sessões, de 20 a 30 minutos cada – destaca o Dr. Bruno.

Quer receber novidades?

O CREB se dedica diariamente a atender seus clientes com toda a atenção e carinho, venha e comprove ❤