(21) 3182 8282 Whatsapp Horários
CONTEÚDO CREB SOBRE SAÚDE

News | Viva sem dor

 

Obesidade pode causar doenças das articulações, como artrose e artrite

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou recentemente uma pesquisa que revela que quase metade da população brasileira, com faixa etária acima dos 20 anos, apresenta sobrepeso. Não há dúvidas das conseqüências maléficas que isso traz à saúde, mas os problemas podem ser ainda maiores do que se supõe. Um exemplo é que pouca gente costuma associar ao excesso de peso problemas como as doenças da articulação, entre as quais a artrite e a artrose, que atingem, principalmente, joelhos, quadril e coluna.

“A obesidade traz inúmeros problemas, e a artrose e artrite são alguns destes problemas. A gordura em excesso no organismo do obeso pode agredir e destruir a cartilagem das juntas, daí o paciente obeso ter maior tendência para desenvolver esse tipo de problema”, explica Haim Maleh, reumatologista e fisiatra do CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo. A artrose é uma das mais comuns doenças reumáticas, que acomete tanto homens quanto mulheres, principalmente na terceira idade. Também conhecida como osteoartrose, osteoartrite, artrite degenerativa e doença articular degenerativa, é uma doença reumática que incide principalmente nas articulações dos joelhos, coluna, quadril, mãos e dedos.

Segundo o médico, que existem atividades específicas recomendadas para o tratamento das doenças nas articulações, por isso o paciente deve procurar um profissional para ser corretamente orientado, “Só após perder peso o paciente deve praticar atividades físicas sem impacto, tais como andar de bicicleta, musculação, hidroginástica ou natação. Já os alongamentos são fundamentais para o alívio das dores”, afirma.

– O tratamento deve ser iniciado mo quanto antes, por isso ao menor sinal de dor constante um especialista deve ser consultado. O tratamento traz o alívio para a dor e melhora na qualidade de vida e pode ser medicamentoso e fisioterapia, além de protocolos que incluem hidroterapia e acupuntura. A atividade física regular é essencial, bem como uma alimentação regrada. O reumatologista irá propor um tratamento individualizado para cada paciente – finaliza o médico do CREB.


Torcicolo pode ser evitado com alongamento e fortalecimento muscular

Um dia pesado de trabalho, estresse, uma noite mal-dormida, problemas em demasia, um engarrafamento gigantesco… são vários os motivos do cotidiano que podem provocar um torcicolo, que nada mais é do que um ferimento de uma articulação após um movimento abrupto. “O pescoço é a parte do corpo que liga a cabeça ao tronco. É ali que fica o segmento mais móvel da nossa coluna e onde se concentram todos os excessos do organismo, inclusive o estresse. A cervical é submetida diariamente a pressões, tensões e má postura no trabalho. Quando essa parte da coluna começa a doer, pode ser sinal de compressões nervosas, fraturas e até hérnia de disco. É a chamada cervicalgia, uma versão mais grave do torcicolo”, explica o fisiatra e reuamtologista Haim Maleh, do CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo

Segundo ele, o torcicolo também se relaciona a vícios de postura ou excessos de exercícios físicos. “Ninguém está livre desde problema, nem mesmo atletas, que pode ter torcicolo se exagerar em suas atividades físicas. Mas é fácil evitá-la: alongamento e fortalecimento muscular, com exercício físico regular, é o segredo”, ensina o Dr. Haim Maleh. Segundo ele, o torcicolo é curado com massagens na região afetada, acupuntura e até o uso de anti-inflamatórios. “Se o torcicolo aparece com alguma regularidade contamos com o RPG, para corrigir vícios posturais”, acrescenta ele.

A diferença entre o torcicolo e a cervicalgia é que o primeiro apresenta uma dor pontual e transitória, cujos sintomas podem desaparecer sozinhos por volta de uma semana. Já a cervicalgia é um torcicolo mais grave, quando as dores persistem e se instalam progressivamente, com os sintomas cada vez mais fortes. “O importante é que o paciente procure um especialista ao menor sinal de dor. Assim será mais fácil resolver o problema”, finaliza o médico.


Artrite reumatóide é o 2º motivo de incapacidade para o trabalho, diz o INSS

A artrite reumatóide é uma doença inflamatória crônica severa, debilitante, com localização variada mais comum nas articulações sinoviais e tecidos periarticulares, como dores e deformidades agressivas, considerada até o momento incurável. No Brasil aproximadamente 2 milhões de pessoas convivem com a artrite e hoje representa o 2° motivo de incapacidade para o trabalho, conforme dados do INSS – Instituto Nacional de Seguridade Social.



Quer receber novidades?


COVID-FREE
O CREB se dedica diariamente a atender seus clientes com toda a atenção e carinho, venha e comprove ❤