(21) 3182 8282 Whatsapp Horários
CONTEÚDO CREB SOBRE SAÚDE

News | Viva sem dor

 

O corpo dá os sinais. É preciso escutá-los para ser ter uma boa qualidade de vida

Uma pesquisa realizada com nada menos do que duas mil pessoas indicou que aos 30 anos, as pessoas começam a apresentar problemas digestivos, aos 32 têm dores nos tornozelos e, aos 37, dores nos joelhos. Aos 50 anos, a maioria das mulheres começam a s...

Uma pesquisa realizada com nada menos do que duas mil pessoas indicou que aos 30 anos, as pessoas começam a apresentar problemas digestivos, aos 32 têm dores nos tornozelos e, aos 37, dores nos joelhos. Aos 50 anos, a maioria das mulheres começam a sentir suores frios. As pessoas que participaram deste estudo disseram que percebem o desgaste físico com o tempo e a maior preocupação é com a saúde do coração. Do total entrevistado, 10% acreditam acredita que o trabalho é o responsável pela saúde fraca e 25% consideram que o estresse contribui para o aparecimento de problemas com a saúde.

Posturas saudáveis na vida

“É muito importante e cada vez mais imperativo adotar posturas saudáveis na vida, como a prática regular de exercício físico, de preferência orientado, pegar sol com os cuidados necessários e optar por uma alimentação controlada e rica em vegetais e frutas. Ao menor sinal de dor, é preciso procurar um médico especialista no aparelho locomotor, que pode ser um fisiatra, reumatologista ou ortopedista. Quanto mais rápido começarmos a tratar, mais chances de sucesso nós temos. Precisamos estar atentos aos sinais que o nosso corpo dá”, afirma Eduardo Sadigurschi, fisiatra e reumatologista do CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo.

Segundo ele, a idade traz experiências, sabedoria, muitas histórias e, claro, um maior desgaste físico e suas consequências. “As pessoas começam a sentir sintomas, e é preciso estar muito atento, para que se possa diagnosticar o que está acontecendo e tratar. Em medicina, quanto antes começarmos o tratamento é sempre melhor e mais benéfico. Procurar um médico especialista ao menor sinal de dor, por exemplo, é fundamental, ainda mais na terceira idade. Ninguém tem necessidade de sentir dor”, diz ele. Para o Dr. Eduardo, a qualidade de vida depende de uma vida saudável, com bons hábitos relacionados à alimentação e exercício físico, e de estar atento a todos os sinais que o corpo dá.


Artrose: 80% da população mundial com mais de 65 anos são acometidos pela doença

Uma das principais doenças reumáticas, a artrose apresenta números absolutos, que indicam bem sua extensão. Nada menos do que 80% da população mundial com mais de 65 anos são acometidos pela doença, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). O Bra...

Uma das principais doenças reumáticas, a artrose apresenta números absolutos, que indicam bem sua extensão. Nada menos do que 80% da população mundial com mais de 65 anos são acometidos pela doença, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). O Brasil é o segundo colocado no ranking de pessoas afetadas, perdendo apenas para os Estados Unidos. De acordo com uma pesquisa da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT), em 2015 teríamos 12,3 milhões de brasileiros acometidos pela doença, um aumento de 23% em um período de três anos. Mas o Ministério da Saúde registrou, naquele ano, 15 milhões de pessoas com artrose.

“A artrose é caracterizada pelo desgaste ou lesão da cartilagem que reveste as articulações do nosso corpo. Onde há encontro de dois ossos em nosso corpo, e esses ossos têm movimento entre si, há articulação. Esse movimento tem que acontecer sem atritos e, por isso, s articulações são revestidas por um tecido rico em colágeno, chamado cartilagem. Isso nos garante um mínimo de atrito, promovendo o menor desgaste das superfícies que articulam. A artrose é justamente o desgaste dessa cartilagem”, explica o ortopedista Clovis Munhoz, do CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo – e professor de ortopedia da UFRJ.

Engana-se, porém, que pensa que trata-se de uma doença que acomete apenas a terceira idade. Os primeiros sinais da artrose podem aparecer a partir dos 30 anos, sendo mais comum a partir dos 40 anos. As mulheres são 5% mais acometidas que os homens. “As principais causas da artrose são a degeneração pelo uso com a chegada à terceira idade, aumento do impacto ao longo da vida, como excesso de peso, traumas diretos ou doenças que agridem a cartilagem. As articulações dos membros inferiores, colunas e mãos são as partes mais afetadas, e o principal sintoma é a dor e limitação do movimento. Há casos em que simples tarefas como escovar os dentes ou fechar os botões de uma camisa se tornam um suplício para o paciente”, esclarece o Dr. Clovis.

O tratamento é medicamentoso, além de protocolos que incluem fisioterapia, hidroterapia, pilates terapêutico e acupuntura, entre outros. “Temos, no CREB, um tratamento chamado viscossuplementação. São infiltração intra-articular de ácido hialurônico. O tratamento é feito em consultório, por médico especialista, com 3 a 5 aplicações. Essas injeções trazem alívio para a dor e melhora da função e não se trata de um corticóide, antiinflamatório que tem vários efeitos colaterais. Temos tido excelentes resultados no CREB, sem necessidade de cirurgia”, finaliza ele.


Qualidade de vida na terceira idade

Catarata, osteoporose, artrose… essa são apenas três das várias doenças que são percebidas pela maioria das pessoas como males que acometem apenas pessoas da terceira idade. Trata-se de um mito. É verdade que o envelhecimento traz um desgaste natural...

Catarata, osteoporose, artrose… essa são apenas três das várias doenças que são percebidas pela maioria das pessoas como males que acometem apenas pessoas da terceira idade. Trata-se de um mito. É verdade que o envelhecimento traz um desgaste natural do nosso corpo, e isso pode provocar uma série de enfermidades, mas adoecer não de ver considerado algo natural apenas porque a pessoa atingiu a terceira idade. A expectativa de vida da população mundial vem crescendo, o que é um indicativo de que é possível, sim, viver mais e com qualidade de vida. No Brasil, a expectativa de vida está em 75,5 anos, de acordo com levantamento feito em 2015.

Prevenção é sempre o melhor remédio

– Cada vez mais é possível se viver com qualidade, mesmo na terceira idade. O idoso sabe que pode ser acometido por alguma enfermidade, isso faz parte da vida, mas se essa doença for diagnosticada e tratada, sua qualidade de vida pode não ser comprometida – afirma a Reumatologista Liseth Acochiri, do CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo.

Segundo a médica, a associação entre velhice e doença não deve ser de causa. A Dra. Liseth pontua que muitas vezes a pessoa tem um problema por 20, 30 anos, e não procura o devido tratamento, o que certamente irá trazer sérios problemas na velhice. O lema, diz ela, é: a prevenção é sempre o melhor remédio.

– A osteoporose é um excelente exemplo para falarmos dessa questão. Você sabia que existe um exame, chamado densitometria óssea, que disponibilizamos aqui no CREB, que pode indicar mostrar o enfraquecimento dos ossos dez anos antes? Assim, podemos tratar e manter a qualidade de vida da pessoa. No CREB temos o Prevrefrat, um programa de prevenção da refratura, cujo objetivo é exatamente o de prevenir uma nova fratura. Enfim, é possível garantir a qualidade de vida na terceira idade, mas a pessoa precisa se tratar e manter hábitos saudáveis, como uma alimentação regrada e rica em cálcio, fazer atividade física regular orientada, pegar sol, evitar o sobrepeso, se ocupar e ir ao médico – afirma ela.



Quer receber novidades?


COVID-FREE
O CREB se dedica diariamente a atender seus clientes com toda a atenção e carinho, venha e comprove ❤