(21) 3182 8282 Whatsapp Horários
CONTEÚDO CREB SOBRE SAÚDE

News | Viva sem dor

 

Ao sentir dor após o exercício físico, devo usar bolsa fria ou bolsa quente?

Aquela pequena dor consequência de um choque no futebol ou um esforço a mais na academia pode começar a ser aliviada em casa, mas o que se deve utilizar, uma bolsa de água quente ou frita? Essa dúvida é muito comum e a escolha errada pode agravar o problema. É preciso estar atento, fazer a escolha certa e procurar um médico caso a dor persista.

Segundo o fisiatra e reumatologista do CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo, Haim Maleh, a bolsa de água fria (gelo) é recomendada para amenizar dores que resultam de um trauma agudo, como uma pancada ou um encontrão, muito comuns em futebol, basquete e outros esportes com muito contato físico. “O gelo é capaz de evitar que o processo inflamatóio seja exagerado demais. Ele diminui a circulação local, evitando o inchaço. Além disso, a bolsa fria serve como uma espécie de anestesia, porque deixa a região menos sensível”, explica o médico do CREB.

Já a bolsa com água bem quente dilata os vasos sanguíneos, o que facilita a circulação e  ameniza as dores. “Deve-se usar a bolsa de água quente para atenuar os efeitos de problemas crônicos, como lombalgias. Mas é bom observar que esse método não age no problema em si”, ensina o Dr. Haim. Segundo ele, usar a bolsa de água quente sobre uma região dolorida ajuda a atenuar o incômodo, mas jamais irá resolver o problema. Em relação ao tempo de aplicação, ele recomenda que se use a bolsa por 20 minutos. “Jamais utilize uma bolsa de água quente sobre traumas agudos. O calor aumenta a circulação local, tornando a inflamação ainda mais exacerbada, provocando inchaço e um maior incômodo. Por outro lado, a bolsa com gelo deve ser aplicada com parcimônia em articulações como o joelho e o tornozelo. É que o frio, se utilizado indiscriminadamente, pode enrijecer as juntas. Essa orientação é válida sobretudo para quem já ultrapassou a faixa dos 50 anos, grupo mais suscetível a desenvolver males dessa natureza”, acrescenta.

– A utilização da bolsa de gelo ou de água quente atenua a dor, pode evitar o inchaço, mas buscar um médico é fundamental para uma avaliação e tratamento adequados. Uma pequena dor pode ser sinal de uma lesão que, se não for tratada, pode evoluir para um quadro mais grave – alerta o médico.


CREB é pioneiro na aplicação de Miofibrólise Percutânea

Desenvolvida no Brasil desde 2005, a Miofibrólise Percutânea é um método de tratamento não invasivo, que intervém sobre as fibroses e contraturas funcionais do tecido muscular, com o objetivo de livrar o movimento de grande parte das dores, sejam traumáticas ou inflamatórias. Esta técnica é uma evolução moderna da Fibrólise clássica de Ekman, também conhecida como “Crochetage Mioaponeurótica”, que surgiu na Europa, em especial na Itália nos anos 90.

CREB- Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo – é pioneiro na aplicação do método, que é realizado por nossa equipe especializada e devidamente treinada, sob supervisão de médicos fisiatras e reumatologistas. A técnica conta com um aparato instrumental constituído por três empunhaduras de suporte e oito instrumentos  efetivos, cada um  com seu papel na evolução prática, respondendo a cada acesso anatômico e respeitando os fatores ergonômicos.

Segundo o fisiatra e reumatologista do CREB, Haim Maleh, as indicações para a realização do método são variadas e alguns exemplos mais frequentes são as aderências cicatriciais pós-cirúrgicas, neuralgias por irritação mecânica e dores provocadas por fenômeno inflamatório ou traumático do aparelho locomotor, entre outros. “Através deste método é possível aumentar o aporte sanguíneo, romper aderências, aumentar a amplitude de movimento e reduzir à dor”, explica ele.


Seminário Internacional acontece dia 22 de agosto

O 1º Simpósio Internacional A! Body Tech College/CREB – Prevenção e Tratamento das Lesões Mais Comuns em Corredores Amadores acontecerá no próximo dia 22, sábado, a partir das 9 horas, no auditório do CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo, que fica na rua Voluntários da Pátria 408, em Botafogo.

O Seminário conta com a participação do convidado internacional Dr. David Gent, cirurgião especialista em tornozelo e pé da Barry University e Kitsap Foot and Ankle Cinic, EUA. Ele falará sobre “As principais lesões esportivas no tornozelo e pé – como lidar com o corredor: bolhas, calos, frieiras, maus odores. Tipos de órteses, calçados, meias e cuidados especiais”. Haverá tradução de sua palestra.

Mais três temas completam o Seminário Internacional. O médico ortopedista do CREB, especialista em medicina do esporte e cirurgia do joelho pela Universidade de Pittsburgh, EUA, Dr. Rodrigo Kaz, vai falar sobre “As principais lesões no joelho – anatomia, principais lesões e tratamento – como prevenir e tratar lesões musculares: estiramentos, distensões, contraturas, entre outras”. O Dr. Haim Maleh, médico fisiatra e reumatologista do CREB, irá abordar o tema “As principais lesões esportivas no quadril – anatomia, principais lesões e tratamento – diagnóstico diferencial com lombalgia, cuidados ao programar exercícios na academia”. E o Dr. João Marcelo Amorim, ortopedista e médico do esporte do CREB, fará palestra sobre “As principais indicações de TOC – Terapia por Onda de Choque em medicina esportiva, uma nova  opção  terapêutica de sucesso. Opções de termoterapia: calor ou gelo? O que fazer quando o seu aluno se machucar?”.

O Seminário é voltado para profissionais de educação física que trabalham com grupos de corrida, running class e musculação e para professores e estudantes de educação física em geral. As inscrições podem ser feitas pelos telefones (21) 7856-0473, 4848-7139 e 2274-2246 (ramal 140). As vagas são limitadas e o CREB conta com estacionamento em sistema de valet park.



Quer receber novidades?


COVID-FREE
O CREB se dedica diariamente a atender seus clientes com toda a atenção e carinho, venha e comprove ❤