(21) 3182 8282 Whatsapp Horários
CONTEÚDO CREB SOBRE SAÚDE

News | Viva sem dor

 

Espondilite anquilosante acomete principalmente a coluna vertebral

A espondilite anquilosante é uma artropatia inflamatória crônica, autoimune, que acomete principalmente a coluna vertebral, a bacia e os quadris. Segundo o Professor de Reumatologia da UFRJ e reumatologista e fisiatra do CREB – Centro de Reumatologia...

A espondilite anquilosante é uma artropatia inflamatória crônica, autoimune, que acomete principalmente a coluna vertebral, a bacia e os quadris. Segundo o Professor de Reumatologia da UFRJ e reumatologista e fisiatra do CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo, Haim Maleh, também pode atingir o intestino, os rins, os ossos e os olhos e se caracteriza por dor constantes, por mais de três meses, com rigidez nos locais doloridos.

Um artigo publicado no Annals of the Rheumatic Diseases recomenda que o paciente seja precocemente encaminhado ao médico especialista diante da suspeita de espondilite aquilosante, porque existe um gap considerável, de em torno de cinco a oito anos, do início do sintoma até o diagnóstico da doença. “Dor crônica na coluna é o principal sintoma da espondilite anquilosante. Mas muitas vezes o paciente acha que é uma dor passageira, e opta pela automedicação. É fundamental que um especialista seja consultado, porque quando mais cedo se diagnóstica a doença, mais rapidamente poderemos curá-la”, avisa o Dr. Haim.

A espondilite anquilosante atinge dois a três homens, para cada mulher. A Sociedade Internacional de Espondiloartrites (ASAS) criou critérios para auxiliar o médico no diagnóstico da doença. O paciente deve ser encaminhado ao médico imediatamente se a dor crônica nas costas durar mais de três meses e se apresentar dor inflamatória (principalmente pela manhã), presença do HLA-B27, Sacroileíte detectada em exames de imagem (RX ou ressonância), manifestações extra articulares ( psoríase, doença inflamatória intestinal ou uveíte), manifestações periféricas (artrite, entesite ou dactilite), história familiar de espondiloartrites, boa resposta aos antiinflamatórios e, finalmente, exames de inflamação alterados.

“A prática de exercício físico é o melhor a fazer. A espondilite anquilosante aparece principalmente por volta dos 25 anos de idade, mas apesar de pouco comum também pode acometer jovens antes dos 16 anos e pessoas com mais de 45 anos. As mulheres geralmente apresentam um quadro clínico mais leve. É preciso estar atento a alguns detalhes. O colchão utilizado, por exemplo, deve ser firme, sem depressões. Uma tábua pode ser usada entre o colchão e o estrado da cama. Atividade física regular também é muito importante. Ao menor sinal de dores, um especialista deve ser consultado, para que o diagnóstico seja determinado e o tratamento iniciado”, finaliza o médico.


É possível tratar a osteoporose e prevenir refraturas

A osteoporose afeta 9 milhões de americanos, sendo 7 milhões de mulheres e 2 milhões de homens. Há há 48 milhões de americanos com suspeita de terem osteopenia. Estima-se que aos 50 anos há um risco de fratura em uma a cada duas mulheres e um a cada...

A osteoporose afeta 9 milhões de americanos, sendo 7 milhões de mulheres e 2 milhões de homens. Há há 48 milhões de americanos com suspeita de terem osteopenia. Estima-se que aos 50 anos há um risco de fratura em uma a cada duas mulheres e um a cada cinco homens. Portanto, estamos falando de 53 milhões de americanos com risco de fraturas por osteoporose ou osteopenia.

Anualmente ocorrem duas milhões de fraturas osteoporóticas nos Estados Unidos. Desse total, 27% são fraturas nas vertebras, 19% nos punhos, 14% nos quadris/fêmur, 7% na pelve e 33% em outros ossos. A mortalidade de fratura de quadril/fêmur chega a 20%. Outros 20% precisam de cuidados especiais por longo período de tempo e outros e 60% perdem a capacidade de voltar a ter o mesmo nível de qualidade de vida que tinham anteriormente devido a essa fratura.

É sabido que quem sofreu uma fratura por trauma mínimo tem cerca de 60 % de chance de ter uma outra fratura. Temos no CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo -um programa de prevenção de fraturas, de reconhecimento internacional, com o qual, com nossos protocolos, conseguimos evitar um alto percentual de refraturas. É possível tratar a osteoporose e prevenir refraturas.


Viscossuplementação pode ser um ótimo tratamento para a artrose

A incidência da artrose vem aumentando cada vez mais e acomete a maioria dos indivíduos acima de 50 anos. Esse quadro é fruto do envelhecimento da população mundial, ou seja, acontece em todos os continentes. Por isso, o tema merece total atenção dos...

A incidência da artrose vem aumentando cada vez mais e acomete a maioria dos indivíduos acima de 50 anos. Esse quadro é fruto do envelhecimento da população mundial, ou seja, acontece em todos os continentes. Por isso, o tema merece total atenção dos especialistas e ao menor sinal de dor, crepitação, edema e redução de movimento o médico ortopedista, reumatologista ou fisiatra deve ser procurado.

“A artrose é a degeneração progressiva das articulações. Os principais fatores relacionados à artrose são a idade (praticamente 100% das pessoas aos 90 anos têm artrose), a sobrecarga mercânica das articulações e após traumas ou cirurgias, como, por exemplo, fatura do joelho, o que é muito comum”, explica o professor de Traumato Ortopedia da UFRJ e ortopedista Clovis Munhoz, do CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo.

Há uma boa notícia, porém. Os tratamentos estão cada vez mais avançados e com ótimos resultados, permitindo ao paciente a recuperação da qualidade de vida perdida. A viscossuplementação pode ser uma excelente alternativa para tratar a artrose. “A viscossuplementação é um tratamento utilizado para reposição de fluídos nas articulações com desgaste. É como colocar uma espécie de lubrificante entre as estruturas ósseas e cartilaginosas das articulações, para que diminua o impacto e a dor. Os viscossuplementos são produtos compostos basicamente de ácido hialurônico, um dos principais componentes do líquido sinovial do joelho normal. Ao ser aplicado na articulação, melhora a pressão intra-articular, amortece os impactos e lubrifica, gerando alívio da dor e melhora do movimento, diminuindo a sensação de rigidez. A viscossuplementação é feita por médico especialista, em consultório”, explica o Dr. Clovis.



Quer receber novidades?


COVID-FREE
O CREB se dedica diariamente a atender seus clientes com toda a atenção e carinho, venha e comprove ❤