(21) 3182 8282 Whatsapp Horários
CONTEÚDO CREB SOBRE SAÚDE

News | Viva sem dor

 

Beber cerveja regularmente aumenta o risco de gota

Pessoas que bebem cerveja regularmente têm um maior risco de apresentar quadro de gota, doença que se caracteriza pela presença de cristais de ácido úrico intra-articular, causando inflamação, vermelhidão e uma dor lancinante. Embora esse fato já fosse conhecido pela classe médica, uma pesquisa realizada por especialistas do Massachussets General Hospital, nos EUA, revelou que aqueles que bebem duas ou mais doses de cerveja por dia aumentam em duas vezes e meia o risco de sofrer esta doença, ao passo que quem bebe outras bebidas alcoólicas têm o risco aumentado apenas uma vez e meia. Esta conclusão foi obtida por meio de uma pesquisa onde 47 mil homens foram acompanhados, durante 12 anos de estudos.

“Popularmente conhecida como gota, a artrite gotosa não é uma doença exclusiva da terceira idade, como muita gente pensa. Também acomete jovens. Não é uma doença exclusivamente articular, mas sim metabólica. No início, pode começar atingindo o dedão do pé (podagra)  ou mesmo outras articulações do pé, joelho e tornozelo, por exemplo”, afirma Mendel Finkielman, Reumatologista do CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo.

Segundo o Dr. Mendel, a presença de altos índices de ácido úrico é uma das características de uma pessoa com gota. “Porém” – esclarece – “não é determinante.Uma pessoa pode ter um alto índice de ácido úrico e não desenvolver a doença, ao passo que outra pessoa pode ter índices normais e, ainda assim, ter gota. O problema é o depósito de cristais do ácido úrico nas articulações, o que geralmente acontece por alteração do PH local”, garante o médico do CREB. Ele explica que o ácido úrico se forma no organismo por conta do metabolismo das proteínas, em particular, um tipo de proteína chamada Purina. “Alguns alimentos são mais ricos em purinas, como os frutos do mar, carne vermelha e miúdos. Quem tem gota deve evitar esses alimentos”, diz.

A gota pode ser tratada com medicamentos, que reduzem e controlam a quantidade do ácido úrico na sangue e através de dieta específica, além do uso de antiinflamatórios para tratar a inflamação das articulações e diminuir a dor. Mas o Dr. Mendel ressalta que é fundamental que a pessoa procure um Reumatologista regularmente, inclusive nos períodos sem dores. “É preciso evitar que o processo se torne cada vez mais crônico, com possibilidade de desgaste e destruição articular. A gota também pode atingir órgãos importantes, como o rim, e estar acompanhada de problemas como diabetes e hipertensão arterial. Consultar um Reumatologista e acompanhar o desenvolvimento da doença é fundamental”, finaliza.


Uma postura correta garante mais qualidade de vida

Problemas relacionados à coluna são, hoje, um dos maiores responsáveis pelo afastamento do trabalho no Brasil. Segundo dados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), os problemas relacionados à coluna só perdem para doenças psiquiátricas e doenças ocupacionais relacionados ao trabalho (DORT) e lesões por esforço repetitivo (LER), ficando em 3º lugar no número de queixas e afastamentos do trabalho.

Poucas pessoas parecem se preocupar com esse assunto. É preciso saber, no entanto, que uma postura correta garante uma maior qualidade de vida, evitando uma série de problemas de coluna. “Cada vez é maior o número de pessoas com problemas de coluna em todo o mundo. No Brasil, as estatísticas apontam que 85% das pessoas têm, já tiveram ou terão problemas relacionados à coluna. Mas uma postura correta nos oferece uma maior qualidade de vida. E é muito simples cuidar da postura ao realizar as atividades simples do dia a dia”, explica Haim Maleh, fisiatra e reumatologista do CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo.

O Dr. Haim dá algumas dicas, fáceis de seguir e que irão garantir uma melhor postura no dia a dia das pessoas.

Ao abaixar: “As pessoas geralmente se curvam para abaixar. Ao realizar o movimento desta forma, as costas poderão sofrer uma lesão. A posição correta ao abaixar com maior conforto é flexionando ou apoiando os joelhos no chão”.

Ao pegar peso no chão: “Jamais sobrecarregue suas costas, curvando-se ao pegar algum objeto pesado no chão. É preciso flexionar os joelhos para dividir o peso do corpo e da carga com as pernas. E jamais tente levantar algum peso que está acima de sua capacidade. Procure ajuda”.

 

 

 

 

 

 

 

 

No computador: “Muitos trabalhadores que passam horas em frente ao computador se queixam de dores na coluna. É preciso manter a cadeira próxima à mesa de trabalho. As costas devem estar retas e totalmente apoiadas no encosto. Uma boa dica é observar a altura da cadeira, para que a mesa fique numa determinada altura que possibilite que seu cotovelo forme um ângulo próximo a 90 graus e os ombros fiquem relaxados. Os pés devem ficar apoiados sobre o chão ou em um apoio apropriado. As pernas também devem formar um ângulo de 90 graus. De tempos em tempos, é bom interromper o trabalho para levantar e esticar o corpo. Alguns exercícios de alongamento são importantes e lhe ajudarão a relaxar”.

Ao subir escadas: “Mantenha-se ereto e jogue o peso do corpo na perna de trás, evitando curvar muito as suas costas. Utilize o corrimão sempre que possível”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ao dormir: “É fundamental buscar uma posição correta para evitar problemas e dores na coluna. Não durma de barriga para baixo e evite se manter rigidamente esticado. O ideal é dormir de barriga para cima, o que somente 2 % da população consegue. Se for deitar de lado, coloque um travesseiro entre os joelhos. O travesseiro onde a cabeça estará apoiada não deve ser grosso nem fino demais. O ideal é que ofereça apoio ao pescoço, mantendo-o alinhado em relação à coluna e preenchendo as curvas normais da coluna cervical. É bom lembrar que uma boa noite de sono é fundamental para a nossa saúde”.

Ao utilizar a pia ou passar a roupa: “Essas duas atividades exigem que o corpo fique ereto, mas não rígido. Coloque um dos pés ligeiramente na frente do outro e flexione a outra perna levemente para garantir um descanso para suas costas. A altura da pia ou tábua de passar deve ser suficiente para o corpo não ficar curvado ou com os braços muito levantados. Uma boa idéia é usar um banquinho para apoio dos pés, trocando-os de tempo em tempo”.

Ao varrer a casa: Nunca curve as costas. Se mantenha ereto e, sempre que necessário, flexione levemente os joelhos. Uma mão sempre deve estar segurando a extremidade do cabo e a outra vai à altura um pouco acima da cintura. Utilize uma vassoura com um cabo que tenha altura acima do seu ombro”.

Ao carregar sacolas: “Divida sempre o peso entre as duas mãos ou preferencialmente traga o peso contra o seu peito. Desta forma, você manterá sua coluna balanceada”.

O Dr. Haim Maleh finaliza lembrando que as pessoas devem procurar um especialista caso sintam dores regulares, por menor que sejam, para que uma avaliação médica possa apontar qual o problema e o tratamento adequado. “Muitas vezes, um pequeno problema, fácil de ser solucionado, acaba virando um problema muito maior por falta de cuidados. É sempre importante buscar um médico  fisiatra ou reumatologista para uma avaliação correta”, afirma ele.


Enxaqueca, problema sério que precisa ser tratado

A enxaqueca é uma doença séria, que precisa ser tratada e constantemente acompanhada. Além de muita dor e desconforto, traz sérios prejuízos à economia. É o que a Sociedade Americana de Dor de Cabeça vem alertando, com números impressionantes: segundo pesquisas realizadas no Estados Unidos, pessoas que apresentam 15 ou mais ataques de enxaqueca por mês perdem 4,5 horas de trabalho por semana. Cálculos da Sociedade demonstram que a enxaqueca custa anualmente 24 bilhões de dólares à economia americana.

Segundo o presidente da Sociedade Americana de Dor de Cabeça, Fred Sheftell, “as crises de dores de cabeça não levam somente a faltas no trabalho mas afetam negativamente a produtividade daqueles que, apesar da dor, vão trabalhar”. Sheftell afirmou que uma pesquisa da Universidade do Tenesse avaliou mais de 500 pacientes que sofrem há anos de enxaqueca e que durante o período de estudo, os pacientes apresentaram ao menos três episódios de dor de cabeça durante dias de trabalho. “Do grupo 11% dos pacientes reportou cefaleias que os levaram a perder um dia inteiro de trabalho. As dores causaram atrasos em 5% dos participantes e 12% precisaram sair mais cedo. Apesar de 62% deles continuarem trabalhando apesar da dor sua produtividade caía pelo menos 25% por conta disso”, revelou.

O fisiatra e reumatologista do CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo -, Haim Maleh afirma que é preciso investigar o motivo da dor de cabeça. “Uma má postura regular traz inúmeros malefícios à coluna vertebral, inclusive a possibilidade de dores de cabeça constantes. A dor de cabeça pode estar relacionada às dores da coluna e, por isso, é sempre muito importante fazer uma avaliação com um especialista”, afirma ele.



Quer receber novidades?


COVID-FREE
O CREB se dedica diariamente a atender seus clientes com toda a atenção e carinho, venha e comprove ❤