(21) 3182 8282 Whatsapp Horários
CONTEÚDO CREB SOBRE SAÚDE

News | Viva sem dor

 

Sedentarismo e horas diante do computador favorecem doenças musculoesqueléticas

A falta de exercício físico regular é, certamente, a maior inimiga dos jovens, aliada, certamente, a uma alimentação desregrada e pobre em nutrientes. Jovens sedentários lotam os consultórios médicos, com dores e sofrem, cada vez mais, com as lesões por movimentos repetitivos e outros problemas ortopédicos. “Nossa experiência em consultório mostra que esses jovens sedentários geralmente passam horas e horas diante do computador ou de um videogame. E os principais inimigos dos músculos e dos ossos são justamente a falta da prática de exercício físico e essas horas intermináveis diante de um computador. Temos muitos casos de jovens com tendinite e lombalgia”, explica Clovis Munhoz, ortopedista do Vasco da Gama e do CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo.

De acordo com o Dr. Clovis Munhoz, os casos mais comuns entre jovens são bursite, tendinite e lombalgia. “Horas teclando em chats ou jogando joguinhos podem certamente provocar tendinite. É muito comum encontrarmos jovens com LER (lesões por esforços repetitivos). O correto é que ao menor sinal de dor, que se repita, a pessoa procure um médico para fazer o diagnóstico e começar logo o tratamento. Quanto mais cedo, melhor”, determina. Se ficar diante do computador ou videogame é imperativo, diz o médico do CREB, então o jovem deve praticar alongamentos e dar algumas pequenas paradas, de hora em hora, para levantar e se esticar.

O Dr. Clovis recomenda que aqueles que passam horas diante de um computador ou um videogame façam constantemente alongamento, principalmente aqueles que sentem dores no punho. “É importante que a pessoa pare com a atividade para alongar os músculos do anti-braço. Basta levar os braços para frente, entrelaçar os dedos e projetar os ombros para frente. Depois alongar um braço de cada vez, segurando as mãos pela ponta dos dedos, para cima e para baixo”, explica ele.

Para quem sente dores regularmente, o médico do CREB recomenda uma visita o quanto antes a um especialista. Afinal, um pequeno problema não tratado pode evoluir e se tornar um problema crônico. “Mesmo para aqueles que estão em tratamento para dores na coluna vertebral não devem ficar muito tempo sentados. Se você trabalha em um escritório, diante de um computador, por horas, levante-se para beber água, tomar café, ir ao banheiro ou mesmo dar alguns passos, para relaxar e mudar de posição. Ficar horas sentado cansa a musculatura”, diz. Segundo ele, as pessoas têm o mau hábito de sentar com o quadril para frente, mas o certo é deixar a coluna ereta. O Dr. Clovis também alerta para um dos piores costumes que a maioria das pessoas tem: curvar a coluna para pegar peso. “O certo é se agachar flexionando os joelhos”, afirma.

– Sair do sedentarismo é o primeiro passo para uma boa qualidade de vida. Mas para isso é fundamental consultar primeiro um médico – finaliza ele.


Simpósio orienta para prática segura de corrida

Por ser uma atividade simples, sem custo e saudável, o interesse pelas corridas de rua e nas academias tem crescido no Brasil. Apesar de popular, falta informação sobre preceitos para iniciar essa prática esportiva. Pensando nisso, os médicos do Centro de Reumatologia e Ortopedia do Botafogo (CREB) realizarão, no dia 29 de outubro, o I Simpósio Avançado de Corrida do Rio de Janeiro.

“A corrida é uma importante ferramenta para o bem-estar do indivíduo, desde o aspecto físico até o mental. No entanto, a corrida pode ser prejudicial à saúde sem uma avaliação correta médica e orientação técnica. O principal objetivo do evento será discutir o que há de mais moderno para que a prática da corrida ocorra de forma segura e sem lesões”, diz o Dr. Rodrigo Kaz, coordenador do simpósio e especialista em medicina esportiva pela universidade de Pittsburgh (EUA). “As lesões causadas pela prática incorreta de corridas são sérias e muitas vezes irreversíveis, e queremos alertar praticantes e profissionais da saúde desses riscos e ensiná-los com prevenir.”, completa Kaz.

Durante o simpósio, serão abordados temas como prevenções de riscos, lesões, tratamentos, tipos de pés e pisadas, e como melhorar o desempenho e treinamentos para diferentes provas.

O evento contará com convidados como o Dr. Mário Ferreti Filho, gerente médico do Hospital Israelita Albert Einstein (SP) e especialista em doenças da cartilagem, Dr. Felipe Alloza, especialista de doenças do pé e tornozelo da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Clovis Munhoz, diretor médico do Vasco e especialista em Medicina desportiva, e o ultramaratonista especialista em corridas de aventura, Mauro Chasilew.

O público-alvo do evento é voltado para corredores, médicos, fisioterapeutas, prof. Ed Física e estudantes . As inscrições do I Simpósio Avançado de Corrida são feitas pelo site bit.ly/creb2011. As vagas são limitadas.


Associação portuguesa promove Semana Europeia de Luta contra a Dor

A dor é um tema que chama a atenção de todos e mobiliza cientistas e médicos de todo o mundo, A respeitada Associação Portuguesa para o Estudo da Dor (APED), por exemplo, realizou, de 10 a 15 de outubro, a Semana Europeia da Luta Contra a Dor, com ações acontecendo simultaneamente em diversos pontos de Portugal. A dor lombar ganhou atenção especial no evento, que tratou de questões questões relacionadas com a investigação, diagnóstico e o tratamento da dor. No dia 14 de outubro, a APED organizou um evento comemorativo ao Dia Nacional de Luta Contra a Dor, na Fundação Champalimaud, em Lisboa, quando foi apresentada a “Norma de Orientação Clínica sobre a Dor Neuropática”, documento elaborado pelo Prof. Doutor António Vaz Carneiro, director do Centro de Estudos de Medicina Baseada na Evidência, da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa. Neste mesmo dia, foi realizado um debate sobre os aspectos éticos, sociais e econômicos da dor não tratada. No dia 15, a APED promoveu o evento “Mova-se Contra a Dor”, na Praça Central do Centro Comercial do Vasco Gama, em Lisboa, com ampla participação da população. A associação anunciou, durante o evento, a criação do curso de pós-graduação em “Acupuntura Médica”, em parceria com a Escola de Ciências de Saúde da Universidade do Minho. O curso destina-se exclusivamente a médicos. “A criação do curso de Acupuntura Médica Contemporânea visa alertar a população em geral para o flagelo da dor crónica em Portugal, enquanto instrumento formativo dirigido a profissionais de saúde que trabalham no domínio da dor”, explica Filipe Antunes, médico fisiatra do Hospital de Braga. Segundo a APED, a dor crônica é um estado de dor persistente, que afeta mais de 30% da população portuguesa. A patologia músculoesquelética é sua principal causa, e não sendo adequadamente diagnosticada e tratada, pode interferir na qualidade de vida do paciente.



Quer receber novidades?


COVID-FREE
O CREB se dedica diariamente a atender seus clientes com toda a atenção e carinho, venha e comprove ❤