(21) 3182 8282 Whatsapp Horários
CONTEÚDO CREB SOBRE SAÚDE

News | Viva sem dor

 

Ortopedista do CREB é destaque no site da CBF

Ortopedista do CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo – e médico da seleção brasileira Sub-17, o Dr. João Marcelo Amorim é o destaque da sessão “Por Dentro da Delegação”, do site da CBF – Confederação Brasileira de Futebol. É assim que a...

Ortopedista do CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo – e médico da seleção brasileira Sub-17, o Dr. João Marcelo Amorim é o destaque da sessão “Por Dentro da Delegação”, do site da CBF – Confederação Brasileira de Futebol. É assim que a reportagem apresenta o ortopedista: “Meio médico, meio paizão dos jogadores e, principalmente, amigo de todas na delegação, João Marcelo é o que se pode chamar de apaixonado pelo que faz. Sempre com um sorriso no rosto e empolgado com a função, para ele trabalhar na seleção brasileira é muito mais que um sonho”.

Tal descrição poderia ser usada também para o trabalho realizado por ele no CREB. O Dr. João Marcelo é, de fato, um apaixonado pela profissão e é reconhecido pelo atendimento humanizado, individualizado e extremamente gentil. Sobre o trabalho na CBF, ele diz: “Mais do que sonho, é honra, é objetivo de vida. Fui estudar medicina com o objetivo de trabalhar com o futebol. Chegar à Seleção Brasileira é como uma certeza de que escolhi o caminho certo”.

Leia a reportagem, na íntegra, em http://selecao.cbf.com.br/noticias/selecao-base-masculina/por-dentro-da-delegacao-joao-marcelo-o-medico-da-sub-17#.VOxrzHMijqA


Tendinite provoca dor, vermelhidão e edema. E pode tirar Cristiano Ronaldo da Copa

Dor, vermelhidão, edema e até perda funcional parcial do tendão ou tendões envolvidos do joelho, como no caso do jogador português Cristiano Ronaldo, podendo ser, também, em outras articulações, são as consequências de uma tendinite, inflamação no te...

Dor, vermelhidão, edema e até perda funcional parcial do tendão ou tendões envolvidos do joelho, como no caso do jogador português Cristiano Ronaldo, podendo ser, também, em outras articulações, são as consequências de uma tendinite, inflamação no tendão, uma das maiores queixas dos pacientes que se dirigem aos consultórios dos ortopedistas. O fundamental é procurar um especialista, que irá avaliar o grau da lesão e propor o melhor tratamento, medicamentoso e que inclui protocolos que envolvem fisioterapia, eletroterapia, acupuntura, hidroterapia e Terapia por Ondas de Choque (TOC).

“Nossos músculos têm a função de promover o movimento. Em suas extremidades, existe uma transição entre o tecido muscular e o tecido fibroso, que se adere à parte óssea. Tendão é o nome desse tecido altamente resistente e fibroso. Mas nós exercitamos os nossos tendões o dia inteiro, seja caminhando ou praticando atividade física. Um movimento abrupto ou excessivo pode provocar uma inflamação. Quando isso acontece, o ideal é interromper qualquer exercício e mesmo uma caminhada. As vezes, a dor inicial não é tão intensa e a pessoa resolve continuar sua caminhada. E um especialista deve ser consultado”, explica o Dr. Antônio D’Almeida, fisiatra do CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo.

Segundo ele, é preciso evitar que uma simples lesão se transforme em um caso mais complicado, muitas vezes incapacitando para muitas atividades. “Em alguns casos, contamos, aqui no CREB, com a TOC – Terapia de Ondas de Choque -, que segundo estatísticas internacionais resolve 80% dos casos que o tratamento tradicional não dá conta. A Terapia de Ondas de Choque na realidade não é com choques, e sim com ondas acústicas.É uma terapia não invasiva e geralmente indolor, de fácil realização, aplicada em consultório, que em poucas sessões oferece resultados satisfatórios”, acrescenta o Dr. Antônio.


TOC é utilizada com sucesso nas Olimpíadas de Inverno

Mais uma vez, a Terapia de Ondas de Choque (TOC) foi utilizada em competições esportivas de alto nível. A Olimpíada Mundial de Inverno, realizada em fevereiro, em Sochi, na Rússia, também ofereceu aos seus atletas de alto rendimento a possibilidade de se tratarem com a TOC, em caso de contusão. A aplicação de TOC pode ser feita até mesmo no dia da competição, pois não é considerada doping. “A TOC, que são na realidade ondas acústicas que ajudam na melhora do processo de inflamação e na regeneração da área lesada, já está sendo utilizada no dia-a-dia de vários clubes, para esportes como futebol, entre outros, principalmente na Europa. A TOC promove um retorno rápido do atleta às suas atividades, não utiliza medicação, não é invasivo e é aplicado no consultório. Nas Olimpíadas, a satisfação foi muito grande porque na maioria das vezes o tratamento apresentou melhora considerável , liberando o atleta para suas atividades”, explica o ortopedista do CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo, e especialista em medicina do esporte, Dr. João Marcelo Amorim.

A TOC já havia sido utilizada nas Olimpíadas de Beijing e Atenas, além dos jogos panamericanos do Rio de Janeiro, também com muito sucesso. Grandes clubes de futebol europeu já contam com a terapia em seus departamentos médicos, utilizando-a com frequência. A TOC é hoje o que há de mais moderno no combate a tendinite de ombro, quadril, cotovelo e joelho, bursites, fascite plantar e esporão de calcâneo, tendo inclusive aprovação da exigente agência norte-americana FDA – Food Drug Administration. Muito indicado pelos médicos nos Estados Unidos e na Europa, está conquistando seu espaço no Brasil, pela sua eficácia e os ótimos índices de sucesso em todo mundo.

O CREB – Centro de Reumatologia e Ortopedia Botafogo – é um dos pioneiros do uso da TOC no Brasil. Seu fisiatra, Antônio D’Almeida, foi um dos apenas cinco médicos brasileiros que foram à Berlim, na Alemanha, para receber a certificação internacional da ATRAD, Associação Internacional de Terapia por Ondas de Choque. Ele também recebeu recentemente novo título, ampliando sua atuação com o TOC: instrutor internacional para médicos de TOC. Ele foi convidado para ser um dos poucos instrutores médicos internacionais de TOC junto a Academia Swiss Dolorclast.

– Além de indicação para casos de tendinites, esporão de calcâneo e bursites, esta técnica também pode ser utilizada nos tratamentos de dor crônica refratária e outros procedimentos, tais como lombalgias crônicas (dor lombar), dor miofascial (dor muscular, sem uma origem definida, de moderada a intensa intensidade álgica) e cervicalgias (dores na região cervical), dentre outras. E os resultados têm sido muito positivos. O tratamento com TOC é feito em consultório médico, por médico capacitado, geralmente em três sessões, de 20 a 30 minutos cada, através de ondas acústicas, que vem sendo utilizado com sucesso em substituição a vários tipos de cirurgia. Não há internação, não é invasivo, tem ótima tolerância e também minimiza o uso crônico de medicações, reduzindo efeitos colaterais e os gastos com medicamentos – afirma o fisiatra do CREB, Antônio Rodrigues d’Almeida Neto.



Quer receber novidades?


COVID-FREE
O CREB se dedica diariamente a atender seus clientes com toda a atenção e carinho, venha e comprove ❤